Redes Sociais

Tião deverá enfrentar problemas com irregularidades na prestação de contas

Política

Tião deverá enfrentar problemas com irregularidades na prestação de contas

O questionamento sobre prestação de contas da última campanha municipal em Mossoró deverá, também, atingir o candidato derrotado nas eleições 2016, a prefeito, Tião da Prest (PSDB). A partir dos números apresentados à Justiça, e que ainda não foram devidamente analisados, têm sido detectados sérios problemas com as contas de campanha. Erros absurdos como a suposta utilização de empresas que não estariam autorizadas para trabalhar nos serviços que dizem ter prestado, além de evidências de omissão de despesas e até gastos nitidamente irreais com combustível em um posto no município de Baraúna, cujo próprio Tião e outros parentes de primeiro grau são proprietários. O psdbista promoveu movimentações de rua durante a campanha eleitoral que chamaram a atenção pela grande estrutura financeira.

O quadro demonstrativo exposto tem chamado a atenção, principalmente de adversários. Dentre os pontos que mais chama a atenção é o abastecimento dos veículos. Primeiro, questionável é o candidato ir em busca de um posto em Baraúna, distante cerca de 36 Km de Mossoró. A empresa em questão é de propriedade da família de Tião, na qual um dos sócios é o filho e ativista político da campanha, Diego Couto. Segundo as notas fiscais apresentadas na prestação de contas, durante a campanha foi adquirida a quantidade de 1.245,00 litros de óleo diesel.

O pitoresco, no entanto, é que esse volume teria sido depositado em dois veículos e em apenas três abastecimentos. A conta não fecha: cada carro, no caso do tipo Jeep Grand Cherokee, tem um tanque com capacidade para 93 litros de combustível. Nesse caso, a prestação de contas afirma que as camionetes de luxo teriam abastecido mais de 200 litros por abastecimento cada. Segundo a concessionária que revende este automóveis em Mossoró, isto é impossível, visto que o tanque deste veículo comporta menos da metade de litros. O fato evidencia que outros veículos possivelmente de eleitores foram abastecidos.

Ainda sobre o abastecimento de veículos, a prestação de contas de Tião apresentou documentos fiscais de locação de 114 veículos, estes que oficialmente foram os utilizados na campanha. Só que foram emitidas notas fiscais de abastecimento e serviços para 156. São 42 veículos beneficiados que não estavam na declaração. Além disso, a campanha foi alvo de várias denúncias de doação ilegal de combustíveis através do aplicativo Pardal, da Justiça Eleitoral. As denúncias se avolumavam durante a realização das carreatas, onde eram registradas enormes filas em somente alguns postos de abastecimento.

Tião pode também responder por compra de voto e até utilização de caixa dois. Há evidências irrefutáveis de irregularidades no dia da eleição com o repasse de refeições que, embora ditas que eram distribuídas para equipes de apoio, notadamente não eram, pois as quantidades extrapolaram muito o número de refeições das pessoas contratadas. Segundo consta na prestação de contas, foram informadas que estariam aptas ao trabalho 733 pessoas, no entanto, a discrepância está no número de almoços distribuídos que chega a 1.200. Quase o dobro. As irregularidades e contradições são muitas e com outros destaques. As documentações serão analisadas pela Justiça Eleitoral. A prestação de contas do candidato não foi analisada pela justiça eleitoral ainda. Pontos de contestação, como visto, não faltam.

Gilberto de Sousa
– da Redação

Comentários

comentário(s)

RN 360º - Seu portal de notícias.

Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais em Política

Subir