Redes Sociais

REDE NEWS 360

Mãe gentil, pátria humilhada – Brasil

Lampejos

Mãe gentil, pátria humilhada – Brasil

A ordem era que 150 milhões de convites fossem enviados aos quase 200 países em todos os continentes do mundo. Operários, advogados, alguns desempregados, faxineiras, administradores. Empresários, artistas, presidiários comportados, jornalistas, cantores – dentistas, médicos, alfaiates, gerentes, diretores, presidentes de empresas, donos de mercadinhos, todas as classes, raças e gêneros foram contemplados em todas as nações com exceção do Brasil.

Na carta recebida havia uma convocação oficial e CONFIDENCIAL do Governo Mundial que precisava resolver uma situação que há 32 anos só piorava nas terras que deveriam ser retumbantes, e os principais responsáveis em dar cabo ao avanço desse chão, nunca o fizeram. Pior que isso, agora encontravam-se divididos travando batalhas ideológicas e cada um agarrado com sua “verdade” sucumbia-se em si mesmo, pois sua nação deixou de ser foco, passando o lugar aos ataques e a discriminação bilateral de um povo que é o seu povo e que deveriam orgulhar-se de terem a mesma pátria.

De uma vez por todas o líder mundial queria finalizar o sofrimento dessa gente autofágica e sabia que das mãos delas não sairiam as melhores soluções, pois já se passaram mais de três décadas de tentativas, mas em todo o território o que se tem de mais presente são os erros de escolhas cometidos irracionalmente por suas pessoas, em quase todos os seus municípios. Mas a penitência precisava acabar.

A chegada dos 150 milhões de estrangeiros ao Brasil, que não teve nenhum cidadão contemplado com o convite confidencial nas mãos de representantes de todas as outras nações, foi a logística mais ordenada e bem planejada já vista. As capitais do país receberam o maior número de emigrantes temporários, diluindo-se para as cidades de maiores portes, numa organização e disciplina incríveis. Era 30 de setembro de 2018, em uma semana teríamos a eleição geral no país onde seriam eleitos o Presidente, Governadores, Legisladores federais, estaduais, distritais, municipais e prefeitos.

Em sete dias de muito trabalho os visitantes tiveram o desafio de escolher entre eles mesmos o Presidente do Novo Brasil, nome que passou a ser chamado as terras de céu risonho e límpido, agora comandadas por gringos. Depois disso iam às suas origens, retornando a cada quatro anos com o intuito de realizar novas escolhas ou renovar as feitas.

Além disso, os governadores dos estados, deputados, senadores, vereadores e prefeitos – todos foram escolhidos entre os estrangeiros, pois a corrosão moral do país foi tanta que um decreto mundial foi baixado proibindo qualquer nativo brasileiro de concorrer a qualquer tipo de cargo eletivo durante os próximos 50 anos. Até lá o país seria comandado por suecos, japoneses, italianos, cingaleses, peruanos, chilenos, abecásios, antiguanos, alemães, argelinos, argentinos, coreanos, chineses, e diversos outros gentílicos mundiais que revezavam e passavam agora a ter a responsabilidade em dar rumo ao Novo Brasil, dotado de novas esperanças e anseios de melhores cuidados com seu povo que há séculos aspira por melhores tempos, mas que ainda não tinha de quem se orgulhar em ter-lhe dado poderes para cuidar.

O que sempre fizeram foi subverter a ordem e usurpar o progresso das riquezas que ao invés de distribuídas, sempre foram corroídas e sugadas pelos poucos detentores do conforto que o Gigante tem a oferecer naturalmente a todos os seus nativos brasileiros.

Possuímos uma imensa e rica casa que precisa de cuidados, mas temos permanecido deitados em berço esplêndido, nos movendo somente quando é conveniente a nós e realizando com o nosso futuro os mesmos escambos que há 517 anos eram inaugurados em terras do pau brasil, a diferença é que os índios não sabiam da insignificância de um espelho.

REFLITA

A prática da injustiça acobertada pela impunidade, é tão nefasta que destrói aquele alento do fundo da alma, para o trabalho honesto, o exercício do bem, promovendo com isto a inspiração maléfica para a delinquência a contravenção e a corrupção. (Ivan Teorilang)

FIM DA MEIA ENTRADA

Decisão judicial no distrito federal pôs fim aos valores diferenciados para mulheres em entradas de festas e baladas. A principal justificativa fundamenta-se no objetivo desse “desconto”, que é atrair mais mulheres às festas, o que as caracterizariam como iscas aos homens, ferindo não somente as leis vigentes, mas principalmente a moral da figura feminina. Uma parte, mais fixada à ideologia feminista vibrou com a decisão, mas a parte mais conservadora ao romantismo e ao bolso não foi muito solidária às novas exigências legais.

NORDESTINO COM MUITO ORGULHO

O preconceito regional ainda é marca vergonhosa em alguns nascidos no nosso país. O Nordeste é o alvo preferido aos que vomitam ódio contra os que não nasceram em suas regiões.
O orgulho de ser fruto desse chão não está focado somente em seu povo e em suas multifacetadas características artísticas, culturais, inovadoras e acolhedoras, isso já seria suficiente. Temos também o orgulho de ter sido o berço onde nasceu a nação e por ter a certeza que representamos todos as regiões e estamos espalhados ajudando com nossa força natural a manter em desenvolvimento todos os rincões desse imenso Brasil.

FAZER O BEM DÁ COR À VIDA

Está muito difícil crer em avanços quando os responsáveis e detentores dos poderes públicos são homens caídos, muitos envolvidos em esquemas de corrupção e autênticos praticantes de todo tipo de maldade em busca do poder e do dinheiro. Praticar o bem e recebê-lo é quase uma utopia na modernidade. Mais e mais os homens de bem se escasseiam e os praticantes do mal aumentam geometricamente. Estamos em uma escala rumo a um destino que será determinado aqui durante essa “parada”, assim fazer o BEM nos garantirá o melhor destino, além de dá cor à vida enquanto a desfrutamos aqui na terra. Portanto, faça o BEM!

OPERÁRIOS DA INFORMAÇÃO

Em visita técnica à capital, o horário do almoço já tem destino certo, bairro Alecrim. Revendo alguns amigos e conversando sobre assuntos diversos, algumas observações me chamaram a atenção. Segundo eles alguns jornalistas atuantes em Mossoró metem “medo” em muitos caciques da capital. A repercussão das suas postagens enchem as memórias de muitos smartphones com os prints conseguidos a cada cobrança feita nas redes mundiais pelos operários da informação. Algo construtivo e que deve ser comemorado com muita gratidão pelo povo da cidade. Avante!

PALAVRA SAGRADA

“Vós, senhores, dai a vossos servos o que é de justiça e eqüidade, sabendo que também vós tendes um Senhor nos céus”. (Colossenses 4:1)

Comentários

comentário(s)

Mais em Lampejos

Subir