Redes Sociais

REDE NEWS 360

Financiamento imobiliário: entenda como funciona de forma simples

Destaque Imobiliário

Financiamento imobiliário: entenda como funciona de forma simples

Diversas pessoas tem me procurado nos últimos meses, e as duvidas sobre financiamentos de imóveis são diversas. Motivado pelos questionamentos, nesse texto procuro discorrer e responder de forma clara, simples e objetiva aos que projetam realizar um financiamento para compra da casa própria.

A aquisição do primeiro imóvel é talvez, e relativamente, a maior conquista na vida de uma família. A compra de uma casa envolve um enorme esforço, não é da noite para o dia que as pessoas conseguem dinheiro suficiente para comprar um imóvel. Isso pode consumir anos de muita economia de uma família.

Para minimizar esse problema, existe os financiamentos imobiliários que agilizam a aquisição da casa própria. Trata-se de um empréstimo feito a uma pessoa para que ela possa comprar um imóvel à vista. E como todo empréstimo envolve assuntos delicados com relação à forma que o montante emprestado será devolvido ao banco.

Prestações

No Contrato de financiamento há clausulas que determinam o valor das prestações e dependendo de como ela é equacionada os valores das prestações podem crescer ou decrescer ao longo de período da divida. Nesse contexto as prestações são um dos fatores mais importantes em um financiamento imobiliário.

Juros

Todo empréstimo implica em pagamento de juros. O banco cobra uma espécie de “aluguel” sobre o montante emprestado. Entender como funciona um processo de financiamento e sua dinâmica é fundamental para escolher o financiamento mais adequando ao seu perfil.

A prestação é composta de amortização e juros. A amortização é o valor real de abatimento da divida, ou seja, o que estar sendo devolvido ao banco pelo dinheiro recebido. Juros é o lucro do banco, o valor referente ao “aluguel” desse dinheiro. Os juros são sempre calculados sobre o valor que devemos ao banco, ou seja, sobre o saldo devedor.

Basicamente, existe dois tipos de financiamento, o SAC (Sistema de Amortização Constante) e o PRICE. Entendendo como funciona esses dois sistemas você terá condição de escolher o mais adequando ao seu orçamento familiar.

Sistema SAC

Trata-se do sistema, possivelmente, mais utilizados pelos bancos. Ao longo do prazo a amortização é constante. Como os juros são sempre calculados sobre o valor do saldo devedor, que vai diminuindo, o valor da prestação também tende a decrescer ao longo do período. Assim, nesse sistema a parcela inicial é maior, porém decresce ao longo do prazo. O saldo devedor decresce a partir do 1º pagamento das prestações.

Sistema PRICE

Nesse sistema as prestações são constantes, o que não significa dizer que são rigidamente fixas. Cada prestação é composta por uma cota de amortização e juros, que variam no sentido inverso ao longo do prazo de financiamento. A prestação inicial tende a ser menor, e só aumenta devido à aplicação da TR (taxa referencial), um indicador pós-fixado, divulgado após o fechamento do contrato de financiamento. Em outras palavras, as prestações não são fixas e sim variam de acordo com a inflação. A diminuição do saldo devedor só é percebida, em media, depois de 50% das prestações pagas.

De todo modo, na hora de decidir sobre a compra de um imóvel, sempre procure um corretor de imóveis credenciado ao CRECI da região, além de ter a capacitação necessária para responder e resolver a essas e muitas outras duvidas que venham a surgir no momento da aquisição do seu imóvel, esse profissional detém, legalmente, autorização e habilidade na área para lhe orientar. Minimizando assim os riscos de uma compra frustrada ou fraudulenta.

Para duvidas relacionadas, e outras, inerente ao mercado imobiliário disponibilizo meus canais de atendimento (84) 9.8850-0917 (whatsapp) e email: hipolitocassiano@creci.org,br.

Comentários

comentário(s)

Mais em Destaque Imobiliário

Subir