Redes Sociais

REDE NEWS 360

Por que não houve a intervenção militar, agora?

Erick Guerra

Por que não houve a intervenção militar, agora?

Há tanto se falava: as Forças Armadas farão uma intervenção para arrumar essa bagaça nas Instituições Republicanas, mas só com apoio do povo. Desde que a população vá às ruas clamar pelos militares, eles farão a sua parte. Era a esperança da maioria, segundo pesquisas de opinião pública.

O movimento popular nacional dos últimos dias, iniciado pelos caminhoneiros, mas não apenas deles, mostrou o povo clamando pela Intervenção Militar, nas ruas de todo o Brasil, nas redes sociais, na própria mídia a serviço do Governo Michel Temer. Sem dúvidas, essa parte foi feita, isso aconteceu!

Mas as lideranças militares se apressaram a servir ao Governo Temer e, pior, deixaram claro que não iriam fazer nenhuma intervenção. O General Mourão, tido como “O Cara” da Intervenção Militar, foi um dos que fez declaração pública nesse sentido. A decepção está sendo geral, entre os apoiadores dos militares!

Aí, surgiu a chamada “desculpa amarela”: os militares não fizeram a Intervenção porque, se assim fizessem, estariam jogando o “jogo da esquerda”, às vésperas de eleições já praticamente ganhas! Que jogo da esquerda? Que eleições já ganhas?

As tramas contra Bolsonaro no Judiciário é que tem sido o jogo da esquerda…

A candidatura de Lula a presidente é que tem sido o jogo da esquerda…

As eleições com urnas eletrônicas fraudadas é que tem sido o jogo da esquerda…

O aparelhamento das Instituições Republicanas ( inclusive as Forças Armadas) é que tem sido o jogo da esquerda…

Aí, alguém acha que os Oficiais Generais promovidos por FHC, Lula, Dilma e Temer, não fizeram a Intervenção clamada em massa nas ruas e redes sociais, “para não jogar o jogo da esquerda”?

Bom, legalmente, as Forças Armadas devem obediência ao Presidente Michel Temer, não ao povo brasileiro. Não importa se Temer tem mais de 90% de rejeição popular, ou processos por Corrupção nas costas, ou envolvimento ativo antigo, com a Cleptocracia em que se transformou a República Federativa do Brasil. Não importa o clamor da população brasileira pedindo ajuda, pois os militares seguem a Hierarquia, o Supremo Comandante é Michel Temer – e ele deu suas ordens: “ajam contra o povo”!

… E o Exército Brasileiro foi às ruas, exatamente contra os que lhe dedicavam mais afeto e respeito. A imprensa paga pelo governo federal colocou a palavra “Intervencionista” como sinônimo de “baderneiro oportunista”. Nunca os membros do MST, do movimento LGBT ou do MTST foram tratados assim, em Rede Nacional… Afinal, eles são “movimentos sociais”, né? Nunca o Exército Brasileiro esteve contra eles…

É melhor encarar a realidade: as Forças Armadas perderam as qualidades que tinham nos anos 60. Agora, são servas do Grupo Político que comanda esse País há mais de 30 anos.

Comentários

comentário(s)

Sistema Rede News 360 de Comunicação - Mossoró/RN

Mais em Erick Guerra

Subir