Redes Sociais

RN 360º

Turismo É Desenvolvimento

A vez do Turismo

A atividade do Turismo surge como uma alternativa viável ao desenvolvimento socioeconômico de Mossoró e Região. As recentes ações, cada vez mais frequentes, provam que estamos no caminho certo. Há muito ainda a ser feito, mas certamente sabemos que não se trata mais de uma utopia, o cenário é outro é se mostra bastante promissor. Se elencarmos, ao menos quatro delas confirmam isso:

1) a integração de Mossoró, Areia Branca, Tibau, Grossos e Porto do Mangue, municípios do RN, ao roteiro turístico genuinamente cearense, denominado de Rota das Falésias, as barreiras turísticas entre os dois Estados, CE e RN, foram quebradas, possibilitando que o fluxo turístico iniciado a partir do desembarque em Fortaleza/CE percorrendo os 8 municípios cearense que compõem a rota: Eusébio, Aquiraz, Pindoretama, Cascavel,  Beberibe, Fortim, Aracati e Icapui, pudesse também percorrer solo potiguar, ao incorporar os municípios citados anteriormente. Aos poucos, pois muitos dos nossos atrativos ainda não são, apesar do enorme potencial, produtos turísticos, os visitantes chegam, através do roteiro. É algo muito positivo.

2) o processo de interiorização do Turismo deflagrado pelo Governo do RN, iniciada ainda no governo anterior ao atual. É do conhecimento de todos que durante as duas últimas décadas, apenas e tão somente o destino Natal foi alçado ao mercado nacional como sendo o binômio sol e mar, únicos produtos turísticos do Estado, enquanto inúmeros atrativos relacionados à cultura, aos aspectos naturais, a religiosidade, ao artesanato, a arqueologia, ao clima serrano, aos eventos, por exemplo, fossem alijados deste processo. Antes tarde do que mais tarde, o governo percebendo o equívoco, deu novo rumo a promoção turística e agora “Tudo Começa Aqui”. O slogan para a campanha do Turismo do RN, contempla os 5 polos: Costa das Dunas, Agreste-Trairi, Seridó, Costa Branca e Serrano (Mossoró se constitui como porta de entrada de ambos), não mais somente Natal, que obviamente continua sendo a porta de entrada para o fluxo turístico nacional e internacional. Já não é tão incomum ver uma imagem de Mossoró e de outros municípios do interior, nas promoções através da Setur e Emprotur em feiras pelo Brasil e exterior. Isso não é favor é necessidade, se o Estado quiser evitar a grande evasão de renda ocorrida com a migração de turistas para os Estados vizinhos, CE e PB, tem que promover outros atrativos. Isso também é um passo importantíssimo.

3) A promoção do Calendário de Eventos de Mossoró. Será produzido pela primeira vez um projeto, cuja inciativa é do setor privado com apoio institucional, e que visa a promoção e divulgação nacional de seu expressivo Calendário Cultural de eventos, comprovadamente o mais diversificado e movimentado do NE. Atrair visitantes de forma organizada, com informações precisas da vocação que Mossoró possui para realizar tantos eventos, certamente possibilitará fluxo turístico para a cidade e a região. Apesar da grandeza que todos nós sabemos em razão do potencial cultural que possui, o Mossoró Cidade Junina ainda não é um produto turístico, porque da mesma forma não é preparado para assim sê-lo, contudo, continua sendo a principal festa popular do RN. Portanto, profissionalizar os eventos e torna-los produtos turísticos, é missão não só do poder público, mas também, principalmente, do setor privado que precisa também se organizar de forma institucional. Por fim:

4) a reativação do aeroporto Dix-sept Rosado vem ao encontro de todas as outras ações. Antes cabe lembrar que todas as companhias aéreas instaladas em Mossoró a partir do ano de 2000, com a Nordeste Linhas Aéreas, depois Trip, BRA e Noar, nenhuma delas tinha como foco o turismo. No caso da Azul Linhas Aéreas, operando e bem desde 13 de junho de 2018, além do viés comercial com voos a partir de Recife/PE, fica claro que se abre uma enorme porta para a vinda de turistas. A aprova inconteste foi a visita realizada por 100 agentes operadores de viagens, mobilizados pela Azul Viagens, em setembro de 2018. O hub instalado no Aeroporto dos Guararapes, possibilita um fluxo nacional e internacional, e se Mossoró e região souber como vender bem o destino, o Turismo se estabelecerá definitivamente.

Não bastasse, Aracati acaba de receber o voo inaugural também através da Azul, e ao contrário que muitos propagaram no passado, ao meu ver ambos se somarão em torno de um objetivo comum, que é atrair visitantes para a região. Se assim pensarmos, a Rota das Falésias passa a ter duas novas portas de entrada e todos se beneficiaram com isso.  Mossoró precisa continuar acreditando e apostando no Turismo como uma alternativa, por exemplo, à desmobilização do seu setor produtivo de petróleo. São identificadas no mínimo 52 cadeias produtivas que o Turismo consegue mobilizar e envolver em seu entorno, portanto, a atividade merece e precisa ter toda a atenção não só do poder público, como também das instituições, vez que liderados pelo Mossoró Convention, estão sendo mais participativas neste momento, e, claro, do trade turístico.

O setor privado que se somados os segmentos de hotéis, restaurantes, locadoras de veículos, agências e operadoras e viagens, entretenimento, etc., precisa entender que é muito forte e poderá, se organizado, acelerar mais este processo, que obviamente não foi iniciado agora, mas que no momento está claro que muita coisa mudou neste cenário e que precisa entender sua força e sua participação neste processo. Sendo assim precisa se organizar, trabalhar de forma conjunta e institucional. Turismo é Desenvolvimento.

Comentários

comentário(s)

RN 360º - Seu portal de notícias.

Mais em Turismo É Desenvolvimento

Subir