Redes Sociais

RN 360º

RN 360º

Mulher sofre reação alérgica e quase morre após fazer sexo oral no namorado

Cotidiano

Mulher sofre reação alérgica e quase morre após fazer sexo oral no namorado

Uma mulher sofreu uma reação alérgica que colocou sua vida em risco depois de ter feito sexo oral em seu parceiro. De acordo com os médicos, o que teria provocado a situação seria uma substância presente no sêmen do rapaz – a qual ela teria alergia.

Sem saber do perigo que estava correndo, a mulher, que não teve o nome revelado, conta que praticou sexo oral em seu namorado, como já havia feito antes. No entanto, um detalhe foi crucial para que ela tivesse a alergia e quase morresse: engolir o sêmen.

O caso foi relatado na revista científica British Medical Journal Case Reports e é apontado como o primeiro deste tipo em todo o mundo. Segundo o artigo, logo após a relação sexual, ela começou a vomitar, ter dificuldade para respirar e apresentou urticária.

Natural de Alicante, na Espanha, a mulher foi ao hospital com suspeita de choque anafilático . No entanto, não há informações precisas sobre quanto tempo depois do encontro com o companheiro ela procurou ajuda médica.

Sem ter ideia de o que poderia ter provocado reação alérgica, ao ser questionada pelos médicos do Hospital General Universitari d’Alacant, ela revelou que tinha alergia à penicilina, um tipo de antibiótico utilizado no tratamento de infecções causadas por bactérias sensíveis, mas negou ter feito uso da droga, ou de qualquer alimento incomum, antes de ter a relação sexual.

Sexo oral com camisinha teria evitado alergia

Depois de mais algumas perguntas para tentar entender o caso, os médicos descobriram que quatro horas antes do ato, seu parceiro, um homem de 32 anos, teria tomado amoxicilina-ácido clavulânico, para tratar uma infecção no ouvido. Isso explica a alergia, já que o medicamento que é uma forma de penicilina.

Para tratar a reação grave, a mulher recebeu uma dose de adrenalina, esteróides e salbutamol para combater os sintomas e abrir as vias aéreas.

A autora do artigo científico que publicou o caso, Susana Almenara, ressalta que os médicos descartaram uma possível alergia a sêmen, já que a espanhola afirmou que nunca havia sofrido nenhum sintoma em suas práticas sexuais anteriores.

A história ganhou repercussão por conta do ineditismo de alguma reação passada pelo sêmen através do sexo oral . A autora do relatório aproveita para alertar que pessoas com alergias a medicamentos devem “estar cientes” dos riscos, e reforça o apelo sobre o uso de preservativos.

IG / Foto: shutterstock

Comentários

comentário(s)

RN 360º - Seu portal de notícias.

Mais em Cotidiano

Subir