Redes Sociais

O que Bolsonaro fez em 2019: retrospectiva

Foto: Reprodução

Avaliação

O que Bolsonaro fez em 2019: retrospectiva

Se a gente tivesse que resumir o primeiro ano do governo Jair Bolsonaro em uma única palavra, seria intenso. Em apenas 12 meses, ele aprovou reformas, firmou parcerias importantes, deu declarações controversas e manteve os ânimos exaltados o ano todo. É tanta coisa que fica difícil lembrar de tudo o que aconteceu em 2019. E para ajudá-lo a refrescar a memória, elencamos os principais fatos desse ano tão diferente.

Primeiros passos do governo

A começar pela própria composição política do novo governo. Bolsonaro até tentou enxugar o número de ministérios para 15, mas começou o seu governo com 22 e prometeu nomear ministros por critérios técnicos. Com isso, os políticos de carreira que ocupavam as principais pastas deram lugar aos militares. Indo para o congresso, a relação do governo com Câmara e Senado começou um pouco estremecida. No entanto, com o avançar dos meses, executivo e legislativo começaram a falar a mesma língua e os projetos passaram a avançar.

Mudanças na Economia

Paulo Guedes assumiu o ministério da economia com a promessa de aprovar a reforma da Previdência. E conseguiu. Outra novidade significativa apresentada foi a lei de Liberdade Econômica, que desburocratizou a vida de empreendedores de todo o país. A ideia era justamente reforçar os princípios do livre mercado, diminuindo os entraves do estado na hora de abrir uma empresa. E para tentar mudar os números do desemprego, foi apresentado o programa Verde Amarelo, um pacote de estímulos ao emprego para jovens entre 18 e 29 anos. A expectativa é que 1.8 milhão de postos sejam criados até 2022. No cenário internacional, a grande conquista econômica foi o acordo de livre comercio entre o Mercosul e a União Europeia.

Reforço na Segurança

No Ministério da Justiça, o ministro Sergio Moro apostou todas as suas fichas no pacote anticrime. Só que a medida também gerou discussões por trazer propostas consideradas delicadas, como o excludente de ilicitude para policiais e mudanças no conceito de legítima defesa. Por isso, o projeto apresentado em fevereiro só foi aprovado em dezembro depois de muita discussão e uma leve desidratada.

Bolsonaro pelo mundo

Fora do país, o primeiro ano do governo Bolsonaro foi marcado pelos discursos em eventos internacionais. Na ONU, chamou a atenção ao levar questões internas para o debate internacional. Bolsonaro também se aproximou dos Estados Unidos. Foi a Washington e estreitou laços com Donald Trump, embora não tenha conseguido evitar as taxas na hora de vender nosso aço para os americanos.

*Via Gazeta do Povo

Comentários

comentário(s)

RN 360º - Seu portal de notícias.

Mais em Avaliação

Subir