Redes Sociais

Prefeitura de Macau vai ajudar pescadores, feirantes, idosos, estudantes e autônomos prejudicados pelo COVID-19

Foto: Reprodução

Macau

Prefeitura de Macau vai ajudar pescadores, feirantes, idosos, estudantes e autônomos prejudicados pelo COVID-19

Prefeito Túlio Lemos garantiu assistência direta à população mais vulnerável. Várias ações serão implementadas nas próximas semanas.

Em meio a guerra travada contra uma doença devastadora como é a COVID-19, as medidas de isolamento social e de quarentena acabam prejudicando diretamente a população mais vulnerável. A economia popular, o comércio informal e os grupos mais carentes precisam da assistência direta do poder público. Para chegar à essa camada social com mais velocidade a prefeitura fará algumas ações:

A primeira é a aquisição de 10 mil litros de detergente. O produto substitui o álcool como reforço na higiene e desinfetante. O detergente adquirido pela prefeitura será distribuído entre os idosos, pessoas com doenças crônicas (que estão no grupo de risco do COVID-19) e para quem comprovar a necessidade por insuficiência financeira.

Outra medida adotada é a distribuição de kits da merenda escolar para os alunos da rede pública de ensino. Muitos deles contam com a merenda escolar como complemento nutricional. No momento em que as aulas estão suspensas pra evitar o contágio, a entrega dos kits não deixará os alunos desamparados.

Uma parte importante da população que sofre com as medidas restritivas é a que presta serviço na economia popular. Pescadores, mototaxistas e feirantes, cabeleireiros, manicures, por exemplo, ficam impedidos de continuar suas atividades por falta de clientes. “Estamos estudando a melhor forma de atender essas pessoas. A minha garantia é que vamos apresentar uma forma de assisti-las”, afirmou Túlio Lemos. A prefeitura está analisando como prover uma condição de sustentabilidade dessas pessoas.

Além dessas ações o executivo municipal vai usar o cadastro único para distribuir cestas básicas para a população menos favorecida do município.
“Esperamos que esse momento passe logo e que a economia popular volte a ser forte, afinal nenhum trabalhador, formal ou não, quer depender da ajuda do poder público. Mas faremos de tudo por eles enquanto o problema do COVID-19 persistir”, garantiu Lemos.

Comentários

comentário(s)

RN 360º - Seu portal de notícias.

Mais em Macau

Subir