quarta-feira, abril 14, 2021

Sem lockdown, chegaremos a 5 mil mortes diárias no fim de abril, diz pesquisador da Fiocruz

Coordenador do Observatório Covid-19 da Fiocruz, o professor Carlos Machado é um especialista em grandes desastres na área da saúde. Há mais de 20...
More

    Últimas Notícias

    Preço do botijão de gás vai a R$ 97 no RN após novo aumento nas refinarias, diz sindicato

    Petrobras aumentou em 5,2% o preço do produto vendido aos distribuidores a partir desta terça-feira (2).

    Após a Petrobras anunciar aumento de 5,2% no preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) – o gás de cozinha – o preço do botijão de 13 quilos deverá chegar a até R$ 97 no Rio Grande do Norte, de acordo com o Sindicato dos Revendedores Autorizados de Gás Liquefeito de Petróleo (Singás-RN). O preço varia de região para região, principalmente por causa do frete.

    O novo preço começou a valer às 0h desta terça-feira (2) nas refinarias do país, conforme anúncio da estatal. O preço ficou em R$ 3,05 por quilo (R$ 0,15 mais caro), ou seja R$ 36,69 por 13 kg (R$ 1,90 mais caro). A Petrobras afirma que segue os preço do produto no mercado internacional.

    Porém, o presidente do sindicato de revendedores, Francisco Correia, considera que o aumento na refinaria causa um aumento em cadeia. Em média, o aumento ao consumidor final deverá variar entre R$ 4 e R$ 5.

    “A gente considera que essa medida de ‘dolarização’ do preço do gás é prejudicial. Mesmo que todos os impostos fossem isentados, iria aumentar sempre. O ideal seria ter um abertura do mercado, que hoje é todo concentrado na Petrobras”, afirmou.

    Ainda de acordo com Francisco, o aumento deverá começar a ser repassado ao consumidor com a renovação do estoque do produto, entre esta terça-feira (2) e quarta (3).

    O Singás aponta que o Rio Grande do Norte tem cerca de 840 empresas de revenda de gás que empregam uma estimativa de 14 mil pessoas. Porém, somente até dezembro, houve 1.200 demissões. “Se há uma queda na venda, o empresário também precise demitir para reduzir os custos. É um efeito cascata”, considerou.

    G1-RN

    Últimas Notícias

     


    Veja Também