quarta-feira, abril 14, 2021

Sem lockdown, chegaremos a 5 mil mortes diárias no fim de abril, diz pesquisador da Fiocruz

Coordenador do Observatório Covid-19 da Fiocruz, o professor Carlos Machado é um especialista em grandes desastres na área da saúde. Há mais de 20...
More

    Últimas Notícias

    Prefeito de Tangará/RN demite todos do grupo que apostou no seu nome em 2020

    O prefeito, Dr. Airton (PDT), eleito em 2020 com 5.146 votos (54,72%), tão logo assumiu o comando da municipalidade, no início deste ano, resolveu transformar a prefeitura em uma espécie de “empresa privada”, de cunho puramente familiar. Jogou a escanteio o grupo que lhe deu sustentação política, no caso o MDB e, a partir de então, a ordem de tudo o que acontece passa pelo crivo de suas filhas. Os fatos vem gerando falácias em toda  região do Trairi, onde aquele território se encontra localizado. Para se ter uma ideia, de todo o seu grupo de auxiliares que desde 1º  de janeiro de 2021, se achavam integrantes da gestão, de uma vez só foram demitidos 19. É algo atípico na história política do País, estados e municípios nos dias atuais. Se configura, como “prática de nepotismo” e vai de encontro aos princípios constitucionais brasileiro. Por lá, segundo informações, aflora um sentimento grande de revolta, principalmente por parte daqueles que “deram a cara às tapas” na campanha e agora se vêem no olho da rua. O atual gestor, antes tido como popular, agora é taxado como perseguidor. Lamentável.  

       

    Alguns membros da “grande família” do poder em Tangará/RN. Da esquerda para a direita, temos: Romão – genro do gestor e atual chefe de gabinete; Arilane – filha do gestor e atual secretária de Obras; Elane – filha do gestor e atual secretária de Finanças; e Airton – filho do gestor e atual secretário de Assistência Social do município. (Imagens: Reprodução/Arquivo pessoal/Internet)

    PERSEGUIÇÃO

    Um município com pouco mais de 15.800 habitantes e distante 95 quilômetros da capital do RN, onde o senhor José Airton Bezerra, o popular Dr. Airton, em praça pública, pregou o que determina os  estatutos do seu partido, o PDT e, tão logo lhe é outorgado pelo povo para representá-lo, eis que muda de comportamento. Passa o poder para a família, indo mais além, isto é, constrangendo a todos que lhe depositaram confiança como homem público.

    “PREFEITURA FAMILIAR”

    É como ter passado a se chamar a sede da administração pública de Tangará/RN. Algo inóspito na história política daquele município, justamente num mundo como o que vivenciamos hoje onde, virtualmente se acompanha todo tipo de gestão. Seus acertos e seus erros. O Dr. Airton, corajosamente, desobedece a lei e comete crime de nepotismo quando, simplesmente, demite 19 servidores e em seu lugar, imediatamente, nomeia todos os familiares.  

    CODINOME

    Também está passando a ser chamada de PREFEITURA MUNICIPAL DOS BEZERRA, o prédio que abriga o poder executivo tangaraense. Cresce a cada dia a insatisfação e o Ministério Público é convocado a examinar o caso. Nada cabível que num município com 15.869 habitantes, não se encontre pessoas capacitadas, de confiança do prefeito para ajudá-lo a gerir o Governo. E então uma só família assume todos os cargos públicos. Aberrativo.

    VAMOS AOS NOMES

    Arilane Viera Bezerra (filha), Secretaria de Obras; Alane Varela Bezerra Domingos (filha), Secretária de Finanças; Airton Varela Bezerra (filho), Secretário de Assistência Social; Cícero Romão Clementino (genro), Chefe de Gabinete – ele é esposo de Arilane Bezerra-. Tenho a acreditar que não existe mais ninguém a ser nomeado e, podemos dizer que isto sim, é uma grande família, organizada. Mas não é bom para o povo.

    MAIS NOMEAÇÃO

    E não para por aí. No decorrer da edição desta coluna, nos chegou a informação de que a pessoa de Adriana Romão Clementino, irmã de seu genro, é nomeada como a nova Secretária de Educação do município. São os chamados ‘aconchegos’ ofertados. É a coisa pública entregue ao detrimento de um determinado clã. Isto são coisas que deveria ser dado como algo do passado, apenas tido como registro histórico a ser encontrado em estantes de museu .

    ROMPIMENTO

    O vice-prefeito de Tangará/RN, Augusto César Emmanuel Pinheiro e Alves (MDB), empresário do ramo de Construção Civil, que em 2016 também foi candidato junto com Dr. Airton e saíram derrotados, é irmão do ex-prefeito ‘Gija’ e, foi obrigado a romper com o atual prefeito, no terceiro mês de gestão. Isso por conta do desrespeito que teve com o seu agrupamento político. Ele também teve todos os seus aliados exonerados dos cargos.

    CONSTRANGEDOR

    A pessoa chegar em um determinado recinto e ser convidado a sair. Dessa forma as coisas estão acontecendo na bela e aprazível Tangará/RN, onde o atual gestor, Dr. Airton, se encontra a contemplar toda a família com cargos públicos. Até o momento em que finalizávamos esta coluna, já eram 19 o número de pessoas substituídas por ele, em cargos comissionados. É mais um município onde o gestor público quer dar seu sobrenome. Pré-histórico.

    PREOCUPANTE

    Passa por um momento bastante delicado o município de Tangará/RN. A população padece, a exemplo do restante do mundo, dos efeitos catastróficos provocados pelo COVID-19 e, em meio a isso, a convivência com uma administração pública retrógrada. O chefe do executivo municipal, decide que a Prefeitura Municipal, deixa de ser órgão de propriedade pública, do povo e a passa ao comando extremamente familiar. Difícil de acreditar. Mas é verdade.

    CRIME DE NEPOTISMO

    De acordo com a lei nº 8.112, de 1990 e outras legislações, bem como a “
    Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal”,  o NEPOTISMO sofre uma espécie de vedação por parte da Constituição Federal, pelo fato de a Carta Magna brasileira entender que “ contraria os princípios da impessoalidade, moralidade e igualdade”. Ocorre quando um agente público usa de sua posição de poder para nomear, contratar ou favorecer um ou mais parentes.

    EM CIMA DO MURO

    Enxergada a olhos nus, por parte da população, a nova forma de administrar o município pela gestão Dr. Airton, inaugurada após 60 dias à frente do poder, o mesmo ainda não é dado como visível no âmbito parlamentar. Representantes perante o povo, mais diretamente, ainda é esperado que esse segmento, o da Câmara de vereadores, se posicione claramente e adote procedimentos. Nada mais propício para um poder como o parlamento.    

     DR. AIRTON BEZERRA

    Este é o gestor, Dr. Airton Bezerra, que decidiu testar o Poder Judiciário Brasileiro. (Foto: Reprodução/Internet)

    Neste nome o povo de Tangará/RN apostou, pois há muitos anos vinha atuando como profissional da medicina na região. É conhecido em todo o Estado do Rio Grande do Norte, possuidor de muita influência política. Tem lá suas deficiências físicas, mas nada de impossibilitá-lo de exercer função pública. Enveredou pela política, primeiro em 2016, sem êxito. Veio a alcançá-lo em 2020, contando com apoio do ex-prefeito ‘Gija’, irmão do atual vice-prefeito. E eis o inesperado: Pouco depois de chegar ao poder, Dr. Airton’ se desgarra de todos os que lhe apoiaram e transforma a gestão em uma espécie de ‘redoma’. A administração pública é de responsabilidade ‘apenas familiar’. Assentou todos os parentes, não só a nível de primeiro grau mas, também de segundo, em funções chaves da gestão pública. Os famosos ‘cargos de confiança’. Quebra dessa forma, todos os compromissos firmados em praça pública, perante o povo. E desta forma, a querida Tangará/RN e, não a mineira, vive uma história a ser escrita e repassada às gerações vindouras, como de extrema negatividade.

    Últimas Notícias

     


    Veja Também