domingo, junho 13, 2021

Brasil terá terceira onda de Covid no inverno e 751 mil mortos até setembro se não acelerar vacinação, diz estudo

O Brasil registrou queda de 19% na média móvel de mortes por Covid-19 nas duas últimas semanas. Em 18 das 27 unidades de federação,...
More

    Últimas Notícias

    RN define início da vacinação contra Covid de pessoas com menos de 60 anos sem comorbidades

    Reunião definiu que 50% das doses que chegarem ao estado serão destinadas para o público geral. Mulheres lactantes são incluídas nos grupos prioritários de vacinação.

    As secretarias estadual e municipais de Saúde aprovaram, nesta quarta-feira (9), a vacinação do público abaixo dos 60 anos sem comorbidades contra a Covid-19 no Rio Grande do Norte.

    A reunião da Comissão Intergestores de Bipartite aconteceu durante a manhã e aprovou a destinação de 50% das doses que chegarem ao estado para vacinação do público geral, fora dos grupos prioritários do plano nacional de imunização.

    A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) e pelo Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems).

    Segundo o governo estadual, o avanço imediato para atender as faixas etárias sem comorbidades será simultâneo à vacinação dos grupos prioritários.

    Um levantamento do G1 apontou que Natal é a única capital de estado que não começou a vacinação do público abaixo dos 60 anos sem comorbidades. Nesta terça-feira (8), o secretário municipal, George Antunes, afirmou que dependia de autorização da CIB para avançar na imunização do público.

    No início da manhã desta quarta (9), a Sesap afirmou que previa o início da vacinação ainda nesta semana, em todo o estado.

    “Este é um marco muito importante diante do momento epidemiológico que o Brasil está vivenciando, no qual temos o aumento da mortalidade das pessoas mais jovens e não podemos nos furtar de avançar na vacinação dessas pessoas”, disse Lyane Ramalho, subsecretária de Gestão e Planejamento da Sesap.

    Já partir da próxima remessa – chegam 59.250 doses da AstraZeneca-Oxford na madrugada de quinta-feira (9) – será feita uma divisão de 50% para o avanço em faixa etária e 50% em grupos prioritários, incluindo a cota para trabalhadores da educação.

    “Temos ainda grupos prioritários que precisam ser vacinados. Municípios menores já conseguiram concluir a vacinação dos grupos prioritários e poderão avançar com maior rapidez para vacinação exclusiva por faixa etária”, pontuou Lyane.

    Mesmo antes da aprovação da Câmara Bipartite, pelo menos dois municípios já haviam iniciado a vacinação de pessoas abaixo dos 60 anos sem comorbidades. Mossoró começou no domingo (6) a imunizar o público com 55 anos ou mais.

    Já Caicó começou, nesta quarta (9), a aplicar doses de vacinas em pessoas com 59 anos. São Gonçalo do Amarante também havia anunciado imunização do público dos 57 aos 59 anos a partir desta quinta (10).

    Lactantes são incluídas nas prioridades

    A reunião também aprovou a inclusão de mulheres lactantes com crianças de até 6 meses de idade no grupo prioritário para imunização contra a Covid-19. Segundo Maria Eliza, presidente do Cosems, o grupo também será incluído no dia ‘D’ de vacinação de grávidas, previsto para o próximo sábado, dia 12.

    Segundo a Sesap, a medida se baseou em recomendações da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do RN. “Esse será um dia (sábado, 12) muito importante para que possamos melhorar nossos indicadores de vacinação no Rio Grande do Norte e assim salvar vidas”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

    Ainda de acordo com a presidente do Cosems, o estado também vai passar a receber vacinas da Jansem a partir desta semana, que tem dose única e será usada prioritariamente na vacinação de trabalhadores da educação e caminhoneiros.

    Mutirão

    A Secretaria Estadual de Saúde do RN ainda afirmou que haverá um mutirão para registro das vacinações do RN+ Vacina.

    Além disso, o governo deverá disponibilizar um formulário para todos os municípios informem os números da vacinação das pessoas com comorbidades.

    “Se o município não conseguir atingir todo o público com comorbidade com as doses distribuídas, será feita uma solicitação formal ao Ministério da Saúde para o envio de doses que possam complementar e assim garantir a vacinação total deste público”, disse Lyane Ramalho.

    G1-RN

    Últimas Notícias

     


    Veja Também