quarta-feira, setembro 22, 2021

Brasil terá terceira onda de Covid no inverno e 751 mil mortos até setembro se não acelerar vacinação, diz estudo

O Brasil registrou queda de 19% na média móvel de mortes por Covid-19 nas duas últimas semanas. Em 18 das 27 unidades de federação,...
More

    Últimas Notícias

    Senador Styvenson Valentim: um político sem preparo para exercer cargo de tamanha envergadura

    O RN, é bem verdade, necessitava de substituir representantes no Congresso Nacional, visto que os de lá há muito tempo, já não cumpriam mais com a obrigação lhes outorgada. No entanto, não analisaram com cuidado por quem estes seriam trocados. E vamos ao mérito da coisa: o senador Styvenson Valentim, por exemplo, não legitima a função que lhe foi confiada. Até agora só faz derrapar nas tomadas de posição, a criar arruaças e outras coisas. O observo como um político despreparado, que não conhece o que faz. Emenda parlamentar é obrigação de deputados e senadores destinar aos municípios, e aplicada em serviços importantes. Não é peculiar dele. Parte para humilhar gestores públicos. É a primeira vez que escuto, vejo isto acontecer na política brasileira. Saiu aqui do nosso meio um parlamentar incipiente, prepotente e a se achar para sempre na Câmara Alta do País. A entender que os potiguares, na ânsia de mudar, nem sequer trocaram 6 por meia dúzia mas, por um zero à esquerda mesmo. Agora ele quer saber quem realmente se beneficiou com suas emendas, sem sequer elas terem chegado ao seu destino final. Uma vergonha.  

    Foto: Reprodução/Agora RN

    ÓRGÃO DE CONTROLE

    Até entendo, que estas verbas destinadas pelos parlamentares, tem que ter seu destino e investimentos fiscalizados. Mas pelos órgãos devidamente competentes. O senador norte-rio-grandense, eleito somente por que abordou um político em uma blitz com a CNH vencida, não tem agido assim. Ele mesmo quer ter o poder de investigar, tal qual no exercício de policial militar que para um carro e o vasculha como se os ocupantes do veículo fossem criminosos.

    AINDA BEM

    Que apenas ele age desta forma. Imaginemos a condição de um gestor, na maioria das vezes só catando dinheiro para manter a folha de pagamento em dia?. Algo absurdo. Chega este senador novato, premiado com 8 anos de mandato, aposentadoria vitalícia, salário dos maiores do País a querer brincar de fazer política. Pelo contrário, está emporcalhando uma área para onde ele foi enviado na hora exatamente errada. Agora, arcamos com o ônus.

    SEM CONTROLE EMOCIONAL

    A partir da hora que chegou ao Senado Federal, só tem cometido atos falhos, estardalhaços. É o que observamos na postura do parlamentar potiguar Styvenson Valentim. Nada que se aproveite e, já podermos considerá-lo como “o pior dos piores” representantes que nosso Estado já teve até hoje. Mas, o leite já foi derramado e, é esperar por que o tempo corre e virão novas oportunidades para corrigir este erro.  

    AGRESSOR

    Destemperado em tudo que faz. Não respeita ninguém. Ultimamente duas ‘tiradas’ tristes dele: a primeira com relação a uma mulher que acusa um policial de tê-la agredido. Quase na mesma hora,as insinuações contra uma deputada federal paulista de que teria traído o marido ou dado uma cheirada. E, pasmem, fazer aquele ato que considero obsceno, a muganga dos que cheiram cocaína. Tentou se retratar mas, tarde demais. Sem efeito. É triste.

    FELIPE GUERRA

     Muita paz ao município. É o que tem trazido a gestão Salomão Gomes (PL), além de trabalho em benefício da população. É o que escuto de pessoas ali residentes e até de outras cidades circunvizinhas. Um prefeito a administrar sem precisar de perseguir A ou B – o que é de costume em alguns lugares. Nos novos tempos felipenses, não se vê a necessidade de saber se alguém é adversário ou não do executivo. Todos tem vez.

    MODELO

    É de políticos, gestores públicos desta capacidade, que estamos a precisar. Já temos alguns. Que se determinam a mudar certas realidades, com uma nova visão administrativa. E Felipe Guerra faz este experimento com Salomão Gomes, eleito para ser prefeito por 4 anos e, no caminhar do andor, uma mais que provável prorrogação. Tudo determinado pela maioria da população, aquela irmandade e confiança de que dias melhores estão chegando.

    CÂMARA DE MOSSORÓ

    Nesta terça-feira, 3 de agosto, retorna com as Sessões Ordinárias, no seu segundo período legislativo do ano de 2021. Isto depois de um curto recesso, conforme determina o regimento Interno da casa. Sob a presidência do vereador Lawrence Amorim (SD), aquele espaço parlamentar vem mostrando uma grande produtividade nas suas ações. Tudo acontecendo dentro de um clima de paz e harmonia. Muita perfeição. De parabéns.

    ’PALOMINHA’

    Foto: Cedida

    Atleta mossoroense revelado em campeonatos de bairros, despediu-se dos campos locais neste sábado quando da final do Torneio de Esportes do Xerenzão. No domingo, 1, logo cedo, ele viajou com destino ao Estado de Alagoas. Vai defender as cores do Cruzeiro, time da segunda divisão. Escolhido o melhor na partida de sábado, foi presenteado pelo presidente da CMM, vereador Lawrence Amorim, com um par de chuteiras. Bom uso e sucesso.

    ALEX DA ESCOLINHA

    Em conversa com este colunista, disse de sua gratidão pela divulgação que aqui fizemos da grande final do campeonato Xerenzão. Ele, ao lado de Gereba, atuaram como organizadores do importante evento. Deixou confirmado que ainda neste mês de agosto, terá início o Xerenzão 2021, com pagode e café da manhã. Neste nosso espaço, estamos à disposição de todos os desportistas mossoroenses pois sabemos da importância desta causa.

    LAHYRINHO ROSADO

    É grande a aflição deste jovem. Sem achar defeitos na gestão do prefeito que derrotou o esquema do qual ele faz parte, após 70 anos de permanência no poder. Parte para a ofensa pessoal, ao ponto de chamar Allyson Bezerra de ‘menino buchudo’. Isto num programa do qual participa ao meio dia em emissora de rádio da família. E só por que o  ‘menino pobre do Chafariz’, se referiu ao novo Centro de Vacinação como Ginásio Municipal. Danou-se.

    IVAN JÚNIOR

    Foto: Reprodução

    Ex-prefeito do município de Assu, político de peso na ala de oposição. Tanto é que nas eleições de 2020 perdeu por diferença de 5 votos, para o atual gestor Gustavo Soares. Em conversa com este escrevinhador, disse que irá para a campanha de Benes Leocádio, como se fosse ele – Ivan. Se mostrou muito empolgado com a chegada de um nome para representar bem a base contrária ao Governo do Estado. Sabe das dificuldades de enfrentá-lo e, além do mais, as coisas andam sem rumo, em função do não surgimento de uma pré-candidatura. E até que enfim, surge Benes Leocádio, disposto a abandonar sua zona de conforto na Câmara dos Deputados em Brasília, como deputado federal e se lançar ao embate. O ex-prefeito diz ver com bons olhos os desdobramentos desta chegada de quem haverá de representar os ânimos oposicionistas. Pelas andanças até agora protagonizadas pelo ex-prefeito de Lajes por 5 mandatos – Benes, torna-se perceptível que terá uma expressiva votação. E isto em estudos atuais pois a campanha ainda nem começou. É a população que demonstra a vontade de mudar a forma como o RN é gerido.

    Últimas Notícias

     


    Veja Também