terça-feira, novembro 30, 2021

4ª ONDA: Diretora da OMS se monstra preocupada com avanço da COVID-19 e carnaval no Brasil

O mundo está entrando em uma quarta onda da pandemia do novo coronavírus. A avaliação é da diretora-geral adjunta de acesso a medicamentos e...
More

    Últimas Notícias

    Investimentos de R$ 280 milhões ampliarão oferta de água e desenvolvimento no Rio Grande do Norte

    Ministro Rogério Marinho anuncia nesta sexta-feira (22) recursos para continuidade da Barragem Oiticica, além da abertura de editais para a construção da Adutora do Agreste Potiguar e para viabilizar outras barragens no estado.

    Brasília (DF) – O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), anuncia, nesta sexta-feira (22), a liberação de recursos e novos investimentos de cerca de R$ 280 milhões, que deverão ser aplicados em empreendimentos nos próximos anos, para garantir a segurança hídrica, saneamento, desenvolvimento regional e social do Rio Grande do Norte.

    As ações integram a programação da Jornada das Águas [https://www.gov.br/mdr/jornada-das-aguas] – evento que teve início na segunda-feira (18), partindo da nascente histórica do Rio São Francisco, no norte de Minas Gerais, e vai percorrer os nove estados do Nordeste com anúncios e entregas de obras de infraestrutura, preservação e recuperação de nascentes e cursos d’água, saneamento, irrigação, apoio ao setor produtivo e aos municípios, além de mudanças normativas que vão revolucionar a maneira como o brasileiro se relaciona com a água.

    O principal anúncio, que envolve o maior volume de recursos, é para a obra da Adutora do Agreste Potiguar, em São Paulo de Potengi, que tem previsão de cerca de R$ 260,5 milhões em investimentos federais. Durante a agenda, será dado um passo importante para tornar possível a obra: o lançamento do edital de licitação para o projeto básico. O MDR já investiu R$ 7,6 milhões na elaboração dos estudos preliminares e ambientais. A ação está sendo executada por meio de uma parceria entre a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), instituição vinculada ao MDR, e a Companhia de Águas e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern).

    “Não existe desenvolvimento econômico sem água. Ela é o principal insumo estratégico do Brasil. Está nos alimentos que exportamos, na energia, na indústria, na saúde… Sem ela não há vida. É por isso que o governo do presidente Jair Bolsonaro vem atuando para garantir que a água chegue às pessoas, mas também para que ela seja preservada e continue disponível para as próximas gerações”, explica o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

    A previsão é que a Adutora do Agreste Potiguar seja dividida em três etapas, com 142,9 quilômetros de tubulações, 330 quilômetros de canais adutores, estações de bombeamento e tratamento e pontos de captação de água. Toda essa estrutura atenderá, diretamente, 13 cidades do estado, sendo 10 na região do Agreste – Boa Saúde, Lagoa D’Anta, Monte das Gameleiras, Nova Cruz, Passa e Fica, Santa Cruz, Santo Antônio, São José do Campestre, Serra de São Bento e Serrinha – e três no Litoral Sul – Canguaretama, Montanhas e Pedro Velho.

    Outros 25 municípios também serão beneficiados com maior oferta hídrica por conta da redistribuição da água dos Sistemas Adutores Monsenhor Expedito e Espírito Santo.

    Novas barragens e instalação de cisternas

    Sessenta famílias de São Tomé – cerca de 250 pessoas – serão beneficiadas com a instalação de cisternas no município. Serão investidos R$ 3,75 milhões na implantação das estruturas pela Codevasf.

    A ação é parte da iniciativa do MDR para reduzir e erradicar a dependência do abastecimento por meio de carros-pipa. Só no Rio Grande do Norte, serão investidos, no total, R$ 16,7 milhões na instalação de 737 cisternas e 275 poços.

    O ministro Rogério Marinho também vai anunciar editais para a elaboração de estudos de viabilidade, ambiental e elaboração dos projetos básico e executivo para a construção de mais duas barragens no estado – ambas as obras serão tocadas pela Codevasf.

    Para a Barragem São Vicente, em Fernando Pedroza, serão destinados R$ 4 milhões, nesta primeira fase. A previsão é que a infraestrutura beneficie 3 mil pessoas. Já a Barragem Sombras Grandes, na cidade de São José do Campestre, contará, inicialmente, com R$ 3,5 milhões. Cerca de 13 mil pessoas serão contempladas com a obra.

    Barragem de Oiticica e Passagem das Traíras

    Em Jucurutu, onde está em construção a Barragem de Oiticica, o ministro Rogério Marinho anuncia o repasse de mais R$ 10 milhões para a continuidade da obra. A infraestrutura vai receber as águas do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco e tem, até o momento 91,37% de execução.

    A execução é de responsabilidade do governo do estado, com apoio financeiro da União, por meio do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS). O investimento total é de 657,2 milhões, sendo R$ 638,2 milhões do Governo Federal. Desde 2019, já foram pagos R$ 291,6 milhões para o empreendimento – cerca de 45,7% do valor total.

    “O Governo Federal tem assegurado todos os recursos necessários e, agora, dependemos da execução das obras para que, finalmente, a Barragem Oiticica seja finalizada. São 70 anos de espera por essa estrutura, que vai garantir segurança hídrica para milhares de potiguares. É prioridade do governo do presidente Jair Bolsonaro dar condições para que a população do Semiárido possa ter dignidade e melhor qualidade de vida”, destaca o ministro.

    Quando concluída, a barragem vai atender 330 mil pessoas de oito cidades potiguares, além de contribuir com o controle das cheias na região, permitir uma ampliação de até 10 mil hectares da área irrigada da Bacia Piranhas-Açu e gerar energia suficiente para atender uma cidade de 140 mil habitantes.

    Já no Jardim do Seridó, o ministro Rogério Marinho também visita a Barragem Passagem das Traíras, que passa por obras de modernização e recuperação. Essa é uma das mais importantes estruturas hídricas do Rio Grande do Norte e tem capacidade para armazenar até 50 milhões de metros cúbicos de água para atender 72 mil pessoas em Jardim do Seridó, São José do Seridó e Caicó. O investimento nas intervenções é de R$ 12 milhões, por meio do DNOCS.

    Revitalização da Lagoa do Bonfim

    Outro foco das ações da Jornada das Águas é na sustentabilidade ambiental, o que envolve a recuperação e revitalização de bacias hidrográficas e de cursos d’água. É com essa premissa que será anunciado o edital de licitação do projeto de revitalização da Lagoa do Bonfim, considerada um cartão postal na cidade de Nísia Floresta.

    Por meio da Codevasf, serão R$ 2 milhões em recursos da União para a elaboração dos estudos e projetos necessários para as ações de revitalização e a implantação de estruturas para eliminar o foco poluidor da Lagoa, que, atualmente, recebe esgoto in natura. O curso d’água abastece o Sistema Adutor Agreste Trairi Potengi, que atende mais de 220 mil pessoas. A revitalização da área tornará possível também a realização de atividades náuticas e turísticas.

    Saneamento

    Em Caicó, está na programação da Jornada das Águas a assinatura de edital de chamamento público para elaboração de projetos para o encerramento do lixão do município e a modelagem da prestação regionalizada ou concessão dos serviços de coleta, tratamento, recuperação e valorização dos resíduos sólidos de 25 cidades potiguares. Isso será possibilitado por meio de uma parceria entre o MDR, o Consórcio Público Regional de Resíduos Sólidos do Seridó e a Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

    O Marco Legal do Saneamento Básico, que completou um ano em julho passado, definiu novas diretrizes para universalização dos serviços de água, esgotamento sanitário, drenagem urbana e resíduos sólidos urbanos.

    Desenvolvimento regional

    A agenda da Jornada das Águas inclui, ainda, ações voltadas a estimular o desenvolvimento das mais diversas regiões dos estados por onde passa. Em Caicó, o MDR vai lançar o primeiro polo da Rota da Moda, uma nova modalidade de ação no âmbito do Programa Rotas de Integração Nacional. O ministro Rogério Marinho participa do workshop para a estruturação da unidade, além de conferir outros produtos locais.

    Atualmente, o MDR apoia dez Rotas em todas as regiões do País: do Açaí, da Biodiversidade, do Cacau, do Cordeiro, da Economia Circular, da Fruticultura, do Leite, do Mel, do Peixe e da Tecnologia da Informação e Comunicação. A Rota da Moda será a 11ª modalidade. As ações já alcançam 50 unidades espalhadas por todas as regiões brasileiras e englobam produtores de mais de 600 cidades brasileiras. Desde 2019, o MDR já investiu mais de R$ 45,5 milhões na iniciativa.

    O ministro Rogério Marinho também fará uma visita à Nobre Confecções, fábrica têxtil inserida no Projeto Pró-Sertão e instalada em Jardim do Seridó. A iniciativa é fruto de uma parceria entre o governo do estado, o Serviço Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern) para contribuir com a geração de emprego e renda na região, especialmente no Seridó.

    Com o objetivo de fortalecer o arranjo produtivo da moda da região, o MDR já destinou R$ 19,7 milhões na construção e implantação da Cidade da Moda em Acari. O espaço será um centro de educação, produção, comercialização e eventos da indústria de vestuário da região, com potencial para beneficiar 3 mil pessoas diretamente. Já na cidade de Parelhas, R$ 10 milhões serão aplicados na construção de um galpão industrial, compra de máquinas e implantação da unidade de corte têxtil no município.

    Linhas de Transmissão de energia

    Na manhã de sábado (22), o ministro Rogério Marinho participa, em Natal (RN), da autorização da instalação de um transformador na subestação João Pessoa II, localizada na capital paraibana. O equipamento vai permitir a expansão do sistema de transmissão para suprimento da Região Metropolitana de João Pessoa e o escoamento de potenciais excedentes de geração de energia elétrica do Rio Grande do Norte para o estado vizinho.

    Jornada das Águas

    Durante os dez dias, serão realizados anúncios, entregas e liberações de recursos em dez estados brasileiros. Será promovida uma série de iniciativas que tem como essência quatro eixos: de infraestrutura, com entregas, inaugurações e anúncios de obras que levarão água aos moradores das regiões mais secas do país; de sustentabilidade, com ações de saneamento básico e de preservação, conservação e recuperação de bacias hidrográficas; de desenvolvimento econômico e social, com o apoio a organização de arranjos produtivos locais, promovendo geração de emprego e renda; e de melhoria da governança, com a modernização de toda a regulação do setor.

    A primeira parada da Jornada das Águas ocorreu na segunda-feira (18), em Minas Gerais. Depois, passou pela Bahia na terça (19), pelo Ceará na quarta (20) e por Paraíba e Pernambuco na quinta (21). Após o Rio Grande do Norte, a comitiva do MDR passará ainda por Piauí, Maranhão, Alagoas e Sergipe.

    Últimas Notícias

     


    Veja Também