terça-feira, novembro 30, 2021

4ª ONDA: Diretora da OMS se monstra preocupada com avanço da COVID-19 e carnaval no Brasil

O mundo está entrando em uma quarta onda da pandemia do novo coronavírus. A avaliação é da diretora-geral adjunta de acesso a medicamentos e...
More

    Últimas Notícias

    Sesap autoriza aplicação da 2ª dose de Pfizer em quem tomou a 1ª de AstraZeneca no RN

    Foi aprovado que municípios apliquem a D2 da Pfizer em quem tomou a D1 da Oxford/AstraZeneca e está em atraso por desabastecimento. Intervalo segue de 90 dias.

    A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) autorizou que os municípios do Rio Grande do Norte apliquem a vacina da Pfizer como segunda dose para quem tomou a primeira dose de Oxford/AstraZeneca.

    A definição foi dada pela Câmara Técnica de Vacinação nesta quarta-feira (27). A medida foi tomada por outros estados e a intercambialidade da vacina já acontece também em outros países com segurança.

    De acordo com a Sesap, a câmara definiu que os municípios que estão desabastecidos de Oxford/AstraZeneca e possuem pessoas em atraso para a aplicação da segunda dose, façam uso da Pfizer para a D2.

    Cabe agora aos próprios municípios adotarem a estratégia.

    Apesar da autorização da intercambialidade, o intervalo para a aplicação da segunda dose recomendado segue o padrão da Oxford/AstraZeneca: 90 dias.

    Segundo a Secretaria de Saúde, mais 20.346 doses de Pfizer serão distribuídas nesta quinta-feira (28) para ajudar os municípios a cumprirem o esquema vacinal dos atrasados. O estado recebeu 11.700 doses do imunizante nesta quarta. Outras 9.125 doses da Oxford/AstraZeneca também serão enviadas.

    A pasta reforçou ainda a importância de completar o esquema vacinal para o enfrentamento da pandemia da Covid-19.

    Governo do RN obriga servidores a se vacinarem contra Covid-19

    De acordo com dados da plataforma RN+ Vacina nesta quarta, 207.054 pessoas não voltaram para tomar a segunda dose da vacina contra a Covid.

    Um estudo recente da Sesap apontou ainda que a maioria dos casos com gravidade são de pessoas com o esquema vacinal incompleto.

    G1-RN

    Últimas Notícias

     


    Veja Também